• +55 (18) 3117-1195
  • +55 (18) 98121-4926
  • zanardo@zanardo.com.br
  • Segunda à sexta, das 7h30 às 11h30 e das 13h00 às 17h48
Data: 10/03/2021
Imagem: Gajus-Images, de envatoelements Imagem: Gajus-Images, de envatoelements

A OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) melhorou a projeção para o crescimento da economia brasileira em 2021. Estima alta de 3,7% no nível de atividade econômica ao fim deste ano. Antes, em dezembro, previa expansão de 2,6% (1,1 ponto percentual a menos do que o prognóstico atual).

A organização internacional também aumentou a projeção para o PIB mundial: de 4,2% para 5,6%. As projeções foram divulgadas nesta 3ª feira (9.mar.2021). Eis a íntegra (1 MB).

Apesar da melhora na estimativa, a OCDE avalia que o Brasil deve crescer menos que outros emergentes, como Argentina (4,6%), China (7,8%), Índia (12,6%), Indonésia (4,9%), México (4,5%) e Turquia (5,9%). Ficará na frente da África do Sul (3%), Coreia do Sul (3,3%) e Rússia (2,7%).

Para a organização, as perspectivas econômicas globais melhoraram “acentuadamente” nos últimos meses, ajudadas pela aplicação de vacinas eficazes e por anúncios de apoio fiscal em alguns países. Também são citados sinais de que os países estão lidando melhor com medidas para suprimir o vírus.

O relatório diz que os países que avançarem mais rápido na vacinação contra a covid-19 e adotarem políticas fortes de apoio e suporte serão beneficiados economicamente. O progresso lento da imunização e o surgimento de novas mutações do coronavírus que sejam resistentes às vacinas existentes podem levar a uma recuperação mais fraca da economia, maiores perdas de empregos e mais falências de empresas, diz a OCDE.

“A principal prioridade da política é garantir que todos os recursos necessários sejam usados ??para produzir e implantar totalmente vacinações o mais rápido possível em todo o mundo para salvar vidas, preservar rendimentos e limitar o impacto adverso das medidas de contenção no bem-estar”, lê-se no documento.

A OCDE afirmou que o mercado de commodities deve sofrer pressões no curto prazo diante do ressurgimento da demanda de consumo. Apesar disso, a inflação deve permanecer amena.

ECONOMIA EM 2022
A OCDE estimou crescimento de 2,7% na economia brasileira no próximo ano. O percentual é 0,5 ponto percentual acima do que indicava a projeção anterior, feita em dezembro.

Mas o Brasil deve crescer menos do que a economia global, segundo a organização. O mundo deve avançar 4% no próximo ano –melhorou a estimativa em 0,3 ponto percentual.

fonte: Poder 360, escrita por Hamilton Ferrari

  • Telefone:
    +55 (18) 3117-1195

  • Rua dos Buritis, 201 - Parque Industrial II Araçatuba - CEP 16012-170 / São Paulo